Erosividade na bacia de drenagem do reservatório de Cachoeira Dourada - Go/MG

João Batista Pereira, Luis Alberto Fernández, Valter Antonio Becegato, Sebastião Alves Da Silva

Resumen


A erosão é a principal razão pela quais os solos agrícolas perdem sua capacidade produtiva. O potencial da chuva em causar erosão pode ser avaliado por meio de índices de erosividade, que se baseiam nas características físicas das chuvas de cada região. Esse artigo consiste na aplicação de técnicas de geoprocessamento em conjunto com o fator erosividade da Equação Universal de Perdas de Solo – USLE, na bacia hidrográfica do Reservatório de Cachoeira Dourada, Determinaram-se os índices de pluviosidade: intensidade pluviométrica e erosividade (R) na bacia de contribuição do reservatório da usina hidroelétrica Cachoeira Dourada, localizada entre os estados de Goiás e Minas Gerais. Utilizaram-se dados de 10 postos pluviométricos, referentes a trinta anos de registro de dados, no período de 1973 a 2002. Os valores de precipitação indicam dois períodos bem distintos na bacia do reservatório: a estação úmida, que ocorre de outubro a março, e a estação seca, de abril a setembro, com precipitações abaixo de 100 mm. A análise dos valores de erosividade e intensidade pluviométrica indicam que a bacia é altamente suscetível à erosão na estação úmida. Esta época ainda coincide com o a exposição do solo através de arações e gradagens para o cultivo agrícola. A máxima pluvial do período ocorre nos meses de dezembro ou janeiro, e a mínima acontece em junho e julho, na época da colheita, período de pequena produção de sedimentos, dado valores de baixa erosividade.

Palabras clave


erosividade, erosão, conservação do solo

Texto completo:

PDF


Licencia Creative Commons

Esta obra está bajo una Licencia Creative Commons Atribución-NoComercial-SinDerivar 4.0 Internacional.


GeoFocus es la revista del Grupo de Tecnologías de la Información Geográfica de la Asociación de Geógrafos Españoles. Recibe soporte institucional y técnico de RedIRIS (Red Española de I+D soportada por el Gobierno de España), de la FECYT (Fundación Española para la Ciencia y la Tecnología) y Grumets (Grupo de Investigación Métodos y Aplicaciones en Teledetección y Sistemas de Información Geográfica).